Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Inquérito
Deus existe?
Sim
Não
Talvez
Ver Resultados

Rating: 3.0/5 (269 votos)

ONLINE
1




Partilhe este Site...






O TERRORISMO NO CONTEXTO MUNDIAL

O TERRORISMO NO CONTEXTO MUNDIAL

 

PREFÁCIO

 

 

Quem ler este trabalho, certamente que fará as seguintes perguntas: porque o Ulisses escolheu este tema? Porque o terrorismo e não outro tema?

            Escolhi o terrorismo porque é um problema que merece ser analisado e solucionado.

            O presente trabalho, visa mostrar e alertar sobre os perigos do terrorismo em todas as localidades do mundo. Actualmente não existe um lugar que se encontra livre do perigo que se chama terrorismo.

            Espero que com este trabalho, apesar de ser uma gota de "água no meio do oceano", as soluções para acabar com o terrorismo possam ser evidenciadas.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESUMO

 

O terrorismo é uma palavra que faz parte do nosso dia-a-dia.

Terrorismo, podemos dizer que é o uso de violência contra vítimas individuais ou grupos para atingir determinados fins políticos.

O termo terrorismo foi utilizado pela primeira vez no decorrer da revolução francesa, isto é no fim do séc. XVIII.

No início do século XIX surgiram dois grupos terroristas: o Ku Klux Klan e o anarquismo. Estes dois grupos foram responsáveis por muitas mortes, tanto de civis como de altos dirigentes.

            Em 11 de Setembro 2001 a Al – Qaeda de Bin Laden, realizou um dos piores ataques terroristas da história, que culminou com a destruição das torres gémeas em Nova York, matando mais de 3000 pessoas.

A partir desta data Bin Laden passou a ser o terrorista mais procurado do mundo, e só foi capturado e morto em Maio de 2011.

            Existem vários tipos de terrorismo, como terrorismo nacionalista, religioso, político e mais outros que veremos a frente.

            Tal como os tipos de terrorismo, assim também os grupos de terroristas são variados. A Al - Qaeda, a ETA e os Talibãs, são alguns dos muitos grupos terroristas que iremos abordar no decorrer deste trabalho.

            Veremos também que muitos governos também têm ou tiveram ligações com grupos terroristas e muitos governos também já praticaram vários actos terroristas.

            Ao longo da história universal já ocorreram vários ataques terroristas, como os de Munique em 1972, os de Londres (2005) e Madrid (2004), sem esquecer os de 11 de Setembro de 2001.  

            Como veremos, o terrorismo não vai acabar num abrir e fechar de olhos, será necessário um enorme esforço entre todos os países para se achar uma solução pacífica para o seu fim.     

            E também devemos tirar da cabeça a ideia de que o Islão apoia o terrorismo, pois o Islão é uma religião que procura semear a paz. O que podemos dizer é que alguns terroristas usam o Islão para realizarem os seus actos e que não têm nada a ver com princípios islâmicos.

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

         A palavra terrorismo já não é estranha para nós.

             Desde o 11 de Setembro de 2001 que passamos a ouvir com frequência o termo terrorismo.

             Actualmente, temos visto e ouvido frequentemente notícias sobre terrorismo. Quase sempre vemos na televisão imagens chocantes, nuvens de fumo, carros e edifícios destruídos, ambulâncias, mortos, feridos e muito sangue. Frequentemente lemos nos jornais e revistas nacionais e estrangeiros, crónicas, interpretações e opiniões que explicam as teorias, os motivos, as formas, as ligações, o perigo, as causas e consequências do terrorismo.

             O terrorismo passou a fazer parte do nosso dia-a-dia.

                 ¹ A inexistência de um termo aceite por todos sobre o terrorismo e suas classificações, significa que o mesmo não é aceite ou entendido da mesma forma por todos, independentemente do contexto histórico, geográfico, social e político.

            Mas podemos aqui dizer que Terrorismo é um método que consiste na utilização ilegal de força ou de violência planeada contra pessoas ou património, na tentativa de coagir ou intimidar governos ou sociedade para atingir objectivos políticos ou ideológicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

_______________

1 – Tirado Da Enciclopédia wikipédia, aos 24 de Agosto de 2011.

 

 

 

Definição Do Terrorismo

 

Segundo Laqueur, nenhuma definição pode abarcar todas as variedades de terrorismo que já existiram na história.

A definição do terrorismo é normalmente complexa, originando muitas controvérsias e sujeita a muitas confusões. Vejamos a definição que nos é dada por uma Enciclopédia Britânica ¹: O Terrorismo `` é o uso sistemático da violência para criar um clima geral de medo numa determinada população e assim atingir um objectivo político particular ´´.

 O departamento de defesa dos Estados Unidos define o terrorismo como um tipo muito específico de violência, bastante sútil, apesar de o termo ser usado para definir outros tipos de violência.

Durante as décadas de 70 e 80 do século passado, o terrorismo era visto como parte de um contexto revolucionário. Algumas acções levadas a cabo pelos movimentos independentistas e anticolonialistas também eram considerados actos terroristas pelos países colonizadores.

As acções terroristas típicas incluem assassinatos, raptos, explosões de bombas (tanto em pessoas como em carros) e matanças indiscriminadas. A intenção mais comum do terrorismo é causar um estado de medo na população, com o objectivo de provocar num inimigo ou em seu governo uma mudança desejada.

Terrorismo podemos dizer que é o uso real ou ameaça de utilização da violência com fins políticos que pode se voltar tanto contra vítimas individuais como contra grupos mais amplos, cujo alcance muitas vezes transcende os limites nacionais. O termo implica uma acção levada a cabo por grupos não governamentais ou por unidades secretas, que operam fora dos parâmetros habituais das guerras e às vezes têm como objectivou fomentar a revolução. O terror de Estado, exercido contra seus próprios cidadãos, é considerado uma modalidade de terrorismo. Mais que uma operação militar, os terroristas têm como objectivo propagar o pânico na comunidade contra a qual volta a sua violência. Com frequência, o terrorismo tem como objectivo desestabilizar um Estado instaurando o maior caos possível, para possibilitar assim uma transformação radical da ordem existente

 

 

 

Temos a seguir sucintas definições sobre terrorismo ²:

1-     Uso de violência, assassinato e tortura para impor seus interesses.

2- Indução do medo por meio da divulgação de notícias em benefício próprio.

     

História do Terrorismo

 

O termo terrorismo foi utilizado pela primeira vez durante a Revolução Francesa, nos finais do séc. XVIII, onde se verificou que a fraqueza dos revolucionários chamados de Jacobinos, liderados por Robespierre, obrigou-os a utilizar o `` terror ´´ contra os seus fortes opositores.

Apesar de o termo terrorismo ser relativamente recente, os actos terroristas já vêm sendo praticados a longos anos. Já há 400 anos a.c., o antigo historiador grego Xenofonte¹ escrevia sobre a afectividade da guerra psicológica contra as populações, e alguns imperadores romanos como Tibé – Rio e Calígula usaram o terror para dominar ou desencorajar a oposição.

No séc. XIX, surgiram dois movimentos que utilizavam métodos terroristas. Falamos do Ku Klux Klan e do Anarquismo.

O primeiro nos Estados Unidos da América após a guerra civil, como forma de luta clandestina que visava à supremacia branca, através da intimidação e violência contra os negros. Este movimento começou a perder força já na década de 30 do séc. XX com a Grande Depressão.

O anarquismo nasceu em 1870 na Europa, sobretudo na Itália, França e Espanha, mais tarde se expandiu para os Estados Unidos e Rússia. As primeiras insurreições falharam e a forma de luta mudou para actos individuais contra dirigentes estatais, para mostrar a vulnerabilidade dos Estados. Assim morreram reis, príncipes, presidentes e primeiros – ministros, tais como o Rei Humberto I da Itália, a Imperatriz Isabel da Áustria, os presidentes Sidi Carnot da França e William Mc Kinley dos EUA.

Antes do séc. XIX, os terroristas poupavam os inocentes (as populações). Por exemplo, na Rússia, quando os radicais tentavam depôr o Czar Alexandre II, cancelaram muitos actos porque iriam atingir mulheres, idosos e crianças. Nos últimos dois séculos,

______________

1-       " Terrorism ", artigo da Encyclopedia Britannica. Lido aos 8 de Novembro de 2005.  

2-       Tirado da Enciclopédia Wikipédia, aos 24 de Agosto de 2011.

 

enquanto os estados foram ficando mais burocratizados, a morte de apenas um líder político não causava grandes mudanças, de forma a que os terroristas passaram a usar métodos mais `` drásticos ´´ causando ansiedade e perda de confiança no governo.           

Em 1972, o terrorismo foi incluso pela primeira vez nos debates da Assembleia Geral da ONU. Nestes debates houve dois blocos: o bloco ocidental, que defendia a repreensão e o Movimento dos Não – Alinhados com os países comunistas, defendiam a identificação e eliminação das suas causas.

Em 1985, houve a primeira condenação do terrorismo por consenso: a resolução 40/61 da Assembleia-geral da ONU. O bloco ocidental saiu vitorioso e o terrorismo deixou de ser legítimo por motivações políticas quaisquer.

Em 19994, a resolução 40/60 repudia o terrorismo e convoca os estados para a cooperação internacional.

Em 7 de Agosto de 1998, o grupo terrorista denominado Al – Qaeda utilizou carros bombas para fazer explodir duas embaixadas norte-americanas. Uma no Quénia e outra na Tanzânia, matando no total 256 pessoas e ferindo 5100. O seu líder na altura Osama Bin Laden, foi considerado responsável pelos ataques e passou a ser o terrorista mais procurado do mundo.

Em 11 de Setembro 2001, a Al – Qaeda voltou a cena, perpetrando aqueles que se tornariam num dos piores e mais famosos ataques terroristas da história. Terroristas da Al – Qaeda sequestraram 4 aviões e lançaram-nos contra as torres gémeas em Nova York e o Pentágno em Washington, causando a morte de mais de 3.000 pessoas oriundas de pelo menos 90 países.

O ataque de 11 de Setembro levou a uma grande transformação no tratamento internacional sobre o terrorismo.

Após esses ataques, o Afeganistão foi escolhido como primeiro alvo da luta contra o terror (Outubro de 2001), conduzida pelo governo de George W. Bush, retirando o do poder regime Talibã que até então governava o Afeganistão.

O conselho de segurança da ONU, por meio da resolução 1368/2001, admitiu a aplicação de medidas individuais ou colectivas, em legítima defesa contra terroristas. A invasão do Afeganistão foi baseada nessa resolução, já que a Al – Qaeda tinha suas bases no Afeganistão e tinha apoio dos talibãs.    

O terrorismo tem crescido devido ao impacto psicológico que tem causado nas populações. O terrorismo depende fortemente da surpresa e é frequente que ocorra quando e onde é menos esperado. Ataques terroristas podem desencadear transições súbitas para conflitos.

Alguns governos tiveram ou têm ligações comprovadas com grupos terroristas, que incluem financiamento ou apoio logístico, como fornecimento de armas. Explosivos e locais de abrigo e treino. São os casos do Iémen e da Líbia e dos países que apoiaram o regime talibã no Afeganistão, como os EUA e os seus aliados.

Tipos de Terrorismo

 

Tal como a definição de terrorismo, a sua classificação também gera muitas dúvidas, ideias contrárias, o que torna difícil a criação de uma teoria que abranja todas. Vejamos a classificação dada pelo livro de Geopolítica e Geoestratégia de Angola ¹:

1-     Terrorismo Nacionalista: é aquele que deriva da ideia de conseguir a libertação de um país em relação a outro ocupante, usando meios ilegítimos. Daí se explica a seguinte frase: `` o terrorista de uns é o libertador de outros ´´.

2-     Terrorismo Religioso: é o que advém de interpretações falseadas e fundamentalistas, dos livros sagrados ou dos ensinamentos religiosos, muitas vezes esconde objectivos discriminatórios contra partes da população.

    Terrorismo Politico: tem como finalidade tentar atingir objectivos políticos, mas usando a violência terrorista.

3-     Terrorismo Racial ou Étnico: normalmente está ligado a movimentos xenófobos, e na maioria das vezes contra minorias imigrantes.

4-     Narcoterrorismo: descreve o terrorismo ligado aos traficantes de narcóticos que tentam fazer mudanças políticas governamentais, de justiça e administração e de aplicação de leis com a utilização permanente de violência ou ameaça a sua utilização.

 

 

________________

1-       Livro de Geopolítica e Geoestratégia de Angola, do centro de Estudos Estratégicos de Angola; págs. 48-49.

 

 

Principais Grupos Terroristas

 

São vários os grupos terroristas espalhados por todo o mundo. Vamos destacar apenas alguns:

1-      AL- QAEDA.

Foi criada por Osama Bin Laden em 1988 com os árabes que lutaram no Afeganistão contra a invasão soviética. Financiado inicialmente pelos Estados Unidos, mais tarde virou sua luta contra os EUA. O seu objectivo é lutar contra os EUA e o seu aliado Israel. 

            Foram responsáveis por vários ataques terroristas, incluindo o ataque de 11 de Setembro de 2001.

            Bin Laden foi capturado e morto por tropas norte-americanas em 2 de Maio de 2011. O seu braço direito, o egípcio Aymam Al – Zawahri ficou no seu lugar como líder da Al – Qaeda.

2-       ETA (Euskadi Ta Askatasuna) que em basco quer dizer “Liberdade dos Países Bascos”.

 É um grupo basco fundado em 1959, que luta pela independência do País Basco, que ocupa uma pequena parte da Espanha e França. O seu primeiro atentado foi em 1968, matando Meliton Manzanas, chefe da polícia de San Sebastián. O seu maior número de atentados foi em 1968, matando 118 pessoas.

            Actualmente o grupo tem vindo a enfraquecer devido as inúmeras operações feitas pelas polícias francesas e espanholas.

3-      IRA (Exército Republicano Irlandês).

            Organização terrorista católica da Irlanda do Norte, que começou a actuar nos anos 60. A Irlanda do Norte tem a maioria de protestantes. Os protestantes (60% da população) querem que a religião continue ligada ao Reino Unido, mas os nacionalistas católicos querem a reunificação com a Republica da Irlanda de maioria católica.

4-      HAMAS.

Um dos principais grupos extremistas contrários a existência de Israel e ao processo de paz entre israelitas e árabes. Foi criado em 1987 pelo Xeque Ahmed Yassin. A força do Hamas está concentrada na Faixa de Gaza e na Cisjordânia. O Hamas sempre esteve envolvido em confrontos violentos contra Israel, o que resultou na morte de milhares de palestinos, infelizmente pegues em fogo cruzado.

5-      OS TALIBÃS.

Grupo fundamentalista sunita, que foi criado por combatentes afegãs que lutaram na guerra contra a União Soviética. Os talibãs encontram-se nas montanhas afegãs na fronteira com o Paquistão, onde têm travado uma batalha contra o exército da NATO.

Têm dado apoio a terroristas e seus grupos, e também possuem fortes ligações com a Al – Qaeda.

6-      OS TIGRES DE TAMIL.

Grupo marxista – leninista, sem qualquer ligação religiosa, formado em 1970. É um dos mais sofisticados e organizados do mundo. São responsáveis pelo assassinato de Rajiv Ghandi, ex-primeiro ministro indiano e do ex-presidente Premadasa do Sri – Lanka. Cessaram as suas actividades em 2002, depois de um acordo com o governo, após mais de 30 anos de terror e mais de 60.000 mortes.

 

Até agora só falamos do terrorismo praticado por grupos não estatais. Mas será que os governos ou seus integrantes não praticam actos terroristas?

Vejamos alguns exemplos:

  • Os massacres levados a cabo pelos Khemers Vermelhos de Pol Pot no Camboja, matando mais de um milhão de pessoas;
  • O terror praticado pelos nazis durante a segunda guerra mundial, que culminou na morte de mais de 5 milhões de judeus;
  • A `` limpeza étnica ´´ feita pelas tropas servia tanto na Bósnia (1991-1992) como na província do Kosovo (1998-1999), contra as minorias não servias.
  • Também não podemos esquecer do uso de bombas atómicas pela primeira e única vez na história. Este acto foi perpetrado pelos EUA contra as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, matando milhares de pessoas e cujos efeitos trágicos ainda são visíveis no Japão ¹.    

 

Quem foi Osama Bin Laden?

O mais novo de 20 irmãos, Osama Bin Mohammad Bin Laden, nasceu a 10 de Março de 1957 em Riade, Arábia Saudita. Pertenceu a família mais rica da Arábia Saudita depois da família real.

_______________

1-       Este acto foi feito para obrigar o imperador japonês a assinar a capitulação na 2ª guerra mundial.

 

Após a invasão soviética no Afeganistão em 1979, Osama viajou neste país para participar no esforço jihadista contra os soviéticos. Nesta época o cidadão saudita pelos ocidentais como sendo `` guerreiro da liberdade ´´ ¹. Bin Laden e os seus guerrilheiros islâmicos receberam armas, milhões de dólares e até treinos por parte dos serviços de inteligência norte-americanos.

Mais tarde estabeleceu-se no Sudão como importante investidor, tendo criado algumas empresas e a organização que mais tarde iria se chamar Al – Qaeda. Esta organização inicialmente estava destinada a combater a família real saudita. Osama detestava os modos ocidentais e corruptos da família real. Por ironia do destino, a família real admirava muito a família Bin Laden.

Em 1996 Bin Laden anunciou que iria atacar os Estados Unidos da América. 

Depois de um ataque mal sucedido contra o então presidente egípcio Hosni Mubarack, o governo sudanês expulsou-o do país e apoderou-se das suas riquezas. Osama fugiu para o Afeganistão (liderado pelos seus aliados talibãs). Nesta ocasião foi renegado pela sua família e perdeu a cidadania saudita (1994).

No Afeganistão, sem condições financeiras, começou a construir gradualmente a sua organização, unindo esforços com outros grupos terroristas, principalmente com o grupo egípcio Al – Jihad liderado por Aymam Al – Zawahri que mais tarde viria a ser seu braço direito e que é o actual braço direito da Al – Qaeda.

Do Afeganistão planeou e ordenou vários ataques de grande envergadura, como o das embaixadas norte-americanas no Quénia e Tanzânia em 1998 e ao navio USS Cole em 2000, bem como os ataques contra as torres gémeas em Nova York.

O governo americano ofereceu uma recompensa de 25 e mais tarde 50 milhões de dólares a quem desse informações que ajudassem a sua localização.

No dia 2 de Maio de 2011, o presidente americano Barack Obama, anunciou a captura e morte de Osama Bin Laden. Ele estava escondido numa localidade chamada Abboottabad no Paquistão. Osama foi pegue de surpresa numa operação secreta realizada pelas Joint Special Operations Command, que são forças especiais dos EUA para missões secretas.    

 

______________

1-     Bin Laden era chamado de Chê Guevara em versão árabe.

 

No entanto, o egípcio Aymam Al – Zawahri já assumiu o comando da Al – Qaeda e esta organização anunciou que vai realizar 100 ataques terroristas para vingar a morte de Bin Laden.                    

 

 

Alguns dos Piores Ataques Terroristas Registados na História.

(retirado do site http://veja.abril.com.br, em Setembro de 2011).

 

O império vulnerável

11 De Setembro de 2001, Nova York e Washington (EUA)

• Mortos: mais de 3.000 inocentes e 19 terroristas

• Feridos: milhares de pessoas

• Al Qaeda

• O maior atentado terrorista da História: quatro Boeings sequestrados e transformados em armas com milhares de galões de combustível; dois arranha-céus na cidade mais famosa do mundo convertidos em grandes caixões de cimento e ferro; a sede do poder militar da maior potência mundial atacada.

Ataque ao coração da cidade

7 De Julho de 2005, Londres (Grã-Bretanha)

• Mortos: 50

• Feridos: mais de 700

• Culpados: Al Qaeda

• Pouco antes das 9h da manhã, quatro bombas explodiram com pequenos intervalos. A primeira explosão ocorreu no metro, num trem que corria perto da estação de Liverpool Street; a segunda ocorreu entre as estações Russell Square e King's Cross; a terceira, em Edgeware Road; e por fim, um ônibus foi atingido no centro da cidade. As bombas nos metros estavam em mochilas, no chão dos vagões.

Morte a caminho do trabalho

11 De Março de 2004, Madrid (Espanha)

• Mortos: 200 pessoas

• Feridos: mais de 1.500 pessoas

• Culpados: terroristas islâmicos

• Uma série de bombas explodiu num intervalo de cinco minutos, entre 7h39 e 7h44 de uma quinta-feira. Dez bombas escondidas em mochilas dentro de trens metropolitanos em três estações de Madrid - Atocha, principal ponto de conexão entre trens e o metro no centro de Madrid, El Pozo e Santa Eugenia. Foi a maior matança numa grande capital europeia desde a II Guerra.

O pacificador é morto

19 De Agosto de 2003, Bagdad (Iraque)

• Mortos: 23

• Feridos: mais de 100

• Culpados: O líder terrorista Abu Al-Zarqawi (da Al Qaeda.

• Um caminhão-bomba detonou uma carga de 700 quilos de explosivos, pondo abaixo uma ala inteira do prédio de dois andares numa área central de Bagdad. Entre as vítimas, o chefe da missão da Organização das Nações Unidas no Iraque, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, 55 anos, que havia assumido o cargo de trabalhar pela paz no país havia duas semanas.

Surge Bin Laden

7 De Agosto de 1998, Nairobi (Quénia) e Dar-es-Salam (Tanzânia)

• Mortos: 301 pessoas

• Feridos: mais de 5.000 pessoas

• Culpados: radicais muçulmanos ligados à rede Al Qaeda

• O cartão-de-visitas do inimigo número 1 dos EUA foi um duplo ataque a embaixadas americanas em países muçulmanos da África. Alinhados com a principal bandeira de Bin Laden - a expulsão dos "infiéis" das terras sagradas do Islão - os ataques foram uma prévia do que seu inimigo era capaz.

O inimigo interno da América

19 De Abril de 1995, Oklahoma City (EUA)

• Mortos: 166 pessoas

• Feridos: centenas de pessoas

• Culpados: extremistas de direita ligados a milícias

• Quando uma van recheada de explosivos caseiros rasgou um prédio do governo ao meio na pacata Oklahoma City, as suspeitas logo recaíram sobre homens de barba e turbante e Corão na mão. Os assassinos eram brancos e americanos. Foi o maior atentado nos EUA até Setembro de 2001.

Explosão no ar

21 De Dezembro de 1988, Lockerbie (Escócia)

• Mortos: 259 pessoas

• Culpados: extremistas da Líbia

• Uma bomba instalada num avião da empresa americana Pan Am no aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, pulverizou o jumbo que fazia o voo 103. Os moradores da cidadezinha de Lockerbie despertaram com uma bola de fogo no ar e corpos queimados nos quintais. A Líbia só admitiu sua culpa anos depois.

Os fantasmas europeus

20 De Dezembro de 1973, Madrid (Espanha)

16 De Março de 1978, Roma (Itália)

• Mortos: 7 pessoas

• Culpados: marxistas-leninistas das Brigadas Vermelhas e separatistas bascos do ETA

• Os dois ataques não têm ligação entre si, mas causaram impactos similares: dois líderes políticos assassinados (o primeiro-ministro espanhol Carrero Blanco e o ex-primeiro-ministro Aldo Moro), os países sob pânico e a escalada da violência nas lutas políticas das Brigadas Vermelhas (Itália) e do ETA (Espanha).

O fim do sonho olímpico

5 De Setembro de 1972, Munique (Alemanha)

• Mortos: 11 inocentes, 5 terroristas e um policial

• Culpados: palestinos da facção Setembro Negro

• A maior tragédia da história das Olimpíadas e o maior atentado em defesa da causa palestina. Com onze atletas israelenses sequestrados e massacrados pelos terroristas do Setembro Negro dentro da vila olímpica e no fracassado resgate alemão, o banho de sangue de Munique foi um trauma mundial em plena guerra fria.

Sexta-feira Sangrenta

21 De Julho de 1972, Belfast (Irlanda do Norte)

• Mortos: 11 pessoas

• Feridos: 130 pessoas

• Culpados: braço armado do Exército Republicano Irlandês (IRA)

• A mais famosa acção terrorista do braço armado do IRA, o principal grupo radical do Ocidente. As dez bombas e oito carros-bomba detonados quase simultaneamente em Belfast revelavam um objectivo claro: obter conquistas políticas apostando no caos. Trinta anos depois, o IRA pediu desculpas.

 

CONCLUSÃO

 

            O terrorismo é uma antiga luta praticada por estados, organizações estatais, mas normalmente por outras organizações de oposição, para atingirem determinados fins políticos.

            Para alguns, o terrorismo é a arma dos fracos.

            Estamos neste novo século perante um novo terrorismo internacional que não é restrito a nenhuma fronteira. E com o novo terrorismo surgiram novos grupos terroristas, com ideologias, estão revoltados com as politicas ocidentais no médio oriente.

            A ideia de que o islão está estreitamente ligado com o terrorismo é absurda, pois terrorismo é um método que consiste na utilização ilegal de força ou de violência planeada contra pessoas ou património, O Islão é uma religião, ou seja, um conjunto de crenças relacionadas com aquilo que os seus praticantes/crentes consideram como divinas e sagradas. A palavra Islão, que deriva da palavra arábica "Silm" / "Salam", cujo significado é paz. Salam pode também significar "saudar um ao outro com paz". Contudo, terrorismo é sinónimo de violência e Islão é sinónimo de paz. As duas ideologias são completamente diferentes. Mas existem terroristas que associam o Islão ao terrorismo, como é o caso da Al - Qaeda, escondendo os seus reais motivos que são de ordem política (extraído da enciclopédia wikipédia, Versão online, http://pt.wikipedia.org/wiki/Enciclopédia, aos 24 de Agosto de 2011).

            Não existe um conflito entre o Islão e outras religiões ou civilizações, mas sim uma divergência de ideias sobre o que significa liberdade no médio oriente. Pois se para os norte-americanos liberdade no médio oriente poderem manipular e influenciar os governos nos países árabes, para os muçulmanos, liberdade no médio oriente é a libertação da influência dos americanos e dos seus aliados nos seus países e governos.

            Actualmente, não existe lugar seguro, onde ataques terroristas não podem acontecer. Infelizmente Angola não está isenta a isso, porque os principais alvos dos terroristas são lugares e patrimónios norte-americanos e dos seus aliados, independentemente dos lugares em que se encontram. E em Angola encontramos embaixadas e empresas norte-americanas.

            O terrorismo não começou em 11 de Setembro de 2001 e não irá parar com a captura e morte de Bin Laden ou com o fim dos talibãs, que é pouco provável.

            Quanto mais cedo nos afastarmos duma linguagem bélica e voltarmos a linguagem dos direitos humanos e da dignidade de todos indivíduos, melhor serão as nossas hipóteses de conseguir um mundo livre do terrorismo.            

             Também não devemos esquecer que as grandes potências mundiais dão muita importância ao terrorismo e esquecem-se de problemas mais graves, como a fome, a pobreza, as doenças como sida, malária, cólera e tantas outras, que afectam os países do terceiro mundo.  

             

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SUGESTÕES

 

 

Os Estados Unidos da América, devem parar de interferirem ou mesmo invadirem países árabes quando lhes apetece, pois o terrorismo moderno começou através de invasões estrangeiras nos países árabes, falamos da invasão soviética no Afeganistão.

Os EUA e os seus aliados devem desmantelar as sua bases militares espalhadas por todo o mundo e reverem a sua política internacional.

O terrorismo não pode ser vencido por meios bélicos, pois se forem eliminados alguns terroristas, outros vão surgir. É necessário o diálogo entre os governos e os grupos terroristas para se chegar a uma solução que agrada a ambas as partes.

A cooperação internacional é fundamental, ficou provado que alguns estados deram ou continuam a dar apoio a organizações terroristas. Estes estados devem parar de apoiar tais organizações.

Falando de Angola em particular, os ataques terroristas poderão acontecer no país contra alvos estado-unidenses ou dos seus aliados. Mas há que se ter muita precaução principalmente nos estrangeiros (libaneses, mauritanianos, malianos e outros). Sem querer ser xenófobo, mas estes devem ser bem controlados pois no meio destes alguns podem ter ligações com grupos radicais ou mesmo terroristas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGRADECIMENTOS 

 

 

            Os meus agradecimentos vão em primeiro lugar para Deus, por me dar inteligência suficiente para conseguir fazer este trabalho.

            O meu profundo agradecimento vai para a minha família, em especial os meus pais, e os meus irmão, pela coragem, conselhos e apoio material e financeiro para os meus estudos e em particular para este trabalho.

            Agradecimentos também vão para os meus queridos professores, em especial aos professores Pedro Nunes e António Isabel pelos ensinamentos que me deram.

            Não posso esquecer de agradecer aos meus amigos e colegas Paixão António, Gustavo Pindi, Dumilde Salakiako, Denício Ernesto, Paulino Domingos, Domingos Nascimento e tantas outras pessoas que agora não me vêm na memória que contribuíram para que este trabalho fosse feito.

           

 

 

O meu profundo agradecimento! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

  • Livro de Geopolítica e Geoestratégia de Angola, do Centro de Estudos Estratégicos Em Angola; 1ª edição, 2006.
  •   Wikipédia, Versão online http://pt.wikipedia.org/wiki/Enciclopédia.
  • Folha on-line, http:// www.folhaonline.com.br.
  • Jornal The New York Times, edição on-line; Agosto de 2011.
  • Despertai: Terrorismo. Porque acontece? Quando acabará?; Junho de 2011.